Verba do Plano Safra para irrigação pode chegar a um bilhão, diz Secretário.

Verba do Plano Safra para irrigação pode chegar a um bilhão, diz Secretário.

Logo após a divulgação do plano safra 2016/2017 , pela então ministra Katia Abreu, onde foi anunciado recursos programados de 550 milhões destinadas às culturas protegidas e à irrigação, por meio do Programa de Incentivo à Irrigação e a Armazenagem (Moderinfra), com juros de 8,5% ao ano, houve a troca na equipe do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). A produção da Irrigazine procurou saber da nova equipe do Ministério o que o setor de irrigação pode esperar, especialmente em relação a esses valores e ao Plano para Expansão, Aprimoramento e Desenvolvimento Sustentável da Agricultura Irrigada que foi anunciado em 10 de maio. Sobre o Plano Safra e as verbas previstas para o setor irrigante privado o ex- -ministro e atual Secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Neri Geller foi promissor. “A Irrigação é muito importante para a economia, principalmente para a região Centro-Oeste e nas áreas de risco. Tem 550 milhões disponibilizados no Plano Safra, nós vamos, num primeiro momento, mantê-los e trabalhar de forma firme e forte para amplia-los para um bilhão.” Neri explicou que esteve em reunião técnica com integrantes da frente parlamentar da agropecuária, com participação da CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil), da OCB (Organização das Cooperativas Brasileiras) e outras entidades que representam o setor e a demanda, diz o secretário, é pela redução da taxa de juros (8,5%) e a volta para o prazo de 15 anos. Além do aumento dos investimentos de 550 milhões para um bilhão. Em relação às taxas de juros Geller afirma achar difícil atender neste momento, mas, o prazo do financiamento “vamos trabalhar para voltar a ser de quinze anos”, explica. “A prioridade é liberar os recursos para que o produtor possa acessar os investimentos para fazer irrigação, porque é importante para fazer uma terceira safra no Centro-Oeste, é importante para as regiões que tem problemas de chuva, como no planalto gaúcho, algumas regiões do Paraná. Vamos trabalhar para liberar porque entendemos que é importante para a produção Nacional.”, conclui Geller.