Proximidade com as necessidades do produtor marca atuação da Rivulis Plastro no Brasil.

Proximidade com as necessidades do produtor marca atuação da Rivulis Plastro no Brasil.

Gerente nacional da Rivulis Platro Irrigação, Friedhelm Voswinkel, tem 25 anos de carreira no agronegócio, 10 deles aqui no Brasil. Sempre trabalhou diretamente com o agronegócio e a motivação principal para continuar, está ligada aos grandes avanços tecnológicos e benefícios que a agricultura vem desempenhando na história. Para ele, o contato direto com o produtor ainda é um grande diferencial para o desenvolvimento de soluções no mercado agrícola, “diferente de outros negócios, o produtor é a principal fonte de inspiração e um gerador de soluções, não é apenas um número”. O grande desafio de Friedhelm ao longo desse ano à frente da Rivulis Brasil foi estreitar e criar um ambiente de parceria e respeito com as revendas. Para ele os próximos anos na indústria da irrigação estarão relacionados com o gerenciamento da água. Essa será a chave de apoio aos agricultores e a indústria da irrigação.
É a segunda vez que a Irrigazine fala com Friedhelm neste ano. Na primeira, a Rivulis Plastro Irrigação dava os primeiros passos, agora falamos do está sendo realizado.

Qual a sua avaliação desse primeiro ano de atividade da Rivulis, aqui no Brasil?
FV: Na verdade foi um ano interessante. Além de gerenciarmos os impactos do dia o dia da economia, como eu acredito que todas as empresas também estejam fazendo, iniciamos múltiplas medidas relacionadas diretamente ao fator de crescimento e a preparação das mudanças que vão direcionar nosso futuro na área de irrigação.

Quais são essas mudanças “que vão direcionar” a Rivulis Plastro?
FV: Principalmente mudanças para aumentar o suporte para nossas Revendas e com isso, finalmente os serviços para os produtores. Reestruturamos o departamento comercial para atender melhor às necessidades das nossas revendas e também lançamos o departamento de gerenciamento dos produtos. Trabalhando dia o dia em conjunto com o departamento de engenharia de aplicação, identificando necessidades de novos produtos para os clientes da indústria da irrigação no Brasil.

Mudou alguma coisa nos planos, desde a nossa entrevista no início do ano?
FV: Vou falar sim e não. O que mudou foi a velocidade em realizar metas mesmo diante de um cenário econômico desfavorável. Além disso, a seca deste ano causou desafios para os produtores e claro também para a Rivulis. Contudo, esses impactos são os mesmos para toda indústria, de acordo com os relatos dos nossos colegas participantes da ABIMAQ.
Nada mudou em relação a estratégia da nossa empresa no Brasil. Nosso plano de negócios 2016 já está aprovado, o que reflete a nossa orientação para continuidade do crescimento iniciada em 2015.
Mundialmente a Rivulis está crescendo e dentro das expetativas para 2015. A entrada / parceria com DEL ainda vai aumentar nosso acesso e presença na Índia e suportar nosso crescimento no futuro.

Podemos falar de algum projeto em especial?
FV: Sim, um projeto muito significativo de citros em Araraquara, SP. Um projeto grande para a cultura de laranja com automação pneumática onde a resposta da atuação das válvulas é mais eficiente. Durante a realização deste projeto, a Rivulis também pôde mostrar novas práticas da empresa com relação à execução de grandes projetos e avançado incluindo treinamento intensivo para toda equipe do cliente.

No que consistem, essas novas práticas. Pode detalha-las?
FV: A chave dos projetos em geral é o planejamento com o cliente e todos os departamentos das empresas envolvidas para executar dentro da programação. Cada atraso tem um impacto negativo em relação aos custos de um projeto para o cliente, e a empresa responsável para a implementação. Finalmente nós intensificamos o treinamento para o cliente em relação ao uso do sistema. Assegurar um ótimo uso do sistema é importante para atingir as metas econômicos e dar um retorno do investimento em um prazo mais curto possível para o cliente.

Qual é a área de citrus irrigada pela Rivulis Platro e em que região?
FV: Do ano passado até agora temos instalados em Citros mais de 4.000 HA. Sendo a maior concentração na região noroeste de São Paulo e sudoeste Minas Gerais.

Quais são os equipamentos utilizados?
FV: O sistema de irrigação utilizado no cultivo de citros é irrigação por gotejamento, tendência de escolha por grande parte dos produtores de culturas perenes. O produto utilizado foi o HydroPC, um gotejador cilíndrico com vazão de 2.2 a 3.6 L/h e espaçamento de gotejo entre 65 a 85 cm, produto altamente resistente e com longa durabilidade.

Como funciona é quais são as vantagens desse equipamento?
FV: Esse equipamento, além de dispor de um fluxo de água que proporciona autolimpeza das partes internas do gotejador, regula a vazão de cada emissor independente da pressão ao qual e submetido.

O sistema de irrigação por gotejamento Rivulis tem que ferramentas para dar segurança e facilitar o manejo da Irrigação nos pomares?
FV: O sistema da Rivulis pode ser totalmente automatizado. Podemos citar principalmente a automação pneumática (onde fomos pioneiros) além das autolimpezas de todos dos sistemas de filtragem. Além das opções em campo oferecemos ainda controladores que podem ser comandados via aplicativo de celulares.

Em quanto tempo esse tipo de investimento se paga?
FV: Essa informação e muito relativa. Existem exemplos como a cultura de algodão onde um investimento de mais ou menos R$ 15 mil/há já foi paga com o primeiro cultivo.
A Rivulis tem um novo acionista? Conte-nos sobre essa parceria com a Dhana Engenharia de Responsabilidade Limitada (DEL).
FV: A Rivulis está muito satisfeita com a entrada e parceria com a Dhana Engenharia de Responsabilidade Limitada (DEL) na Índia. DEL é uma das empresas de uma das famílias mais reconhecidas na Índia, a família Abhay Firodia. Procurávamos há algum tempo pela oportunidade de aumentar nossa presença no país com um parceiro forte e conhecido e a encontramos.

O FIMI estava procurando parceiros na Índia? Qual a porcentagem da Rivulis foi adquirida pela DEL?
FV: Sim. A Índia é um mercado promissor para a agricultura irrigada, ela representa grandes oportunidades de desenvolvimento do mercado e aplicação das nossas tecnologias, além de crescimento para a Rivulis global. A família Abhay Firodia comprou 20% de participação no capital social do FIMI na Rivulis Irrigação e 49% de participação no capital social da subsidiaria Rivulis na Índia. O FIMI mantém 80% do capital social do Rivulis mundial.

O que essa parceria vai significar no mercado indiano de Irrigação?
FV: Principalmente um melhor acesso para o Mercado. A família Abhay Firodia tem excelentes contatos e conexões no mercado da Índia e junto com uma nova distribuição isso vai permitir um crescimento forte no mercado da Índia.

Qual sua avaliação do mercado de irrigação no Brasil hoje?
FV: Como citei no início, o ano 2015 tem sido um ano difícil com múltiplos desafios para todos. Ainda assim toda a indústria de irrigação está alinhada para oferecer soluções que ajudem a aumentar a produtividade e a reduzir custos. A irrigação localizada oferece muitas oportunidades.

O Mundo da Irrigação é um mundo de possibilidades, no Brasil?
FV: Absolutamente. Hoje, amanhã e no futuro. Além da Índia, o Brasil é um dos mercados mais promissores para a Rivulis. O setor de Agronegócios e o único setor mostrando crescimento com um PIB positivo durante esse ano e com previsão positiva também para 2016. Hoje falamos sobre 6 Milhões de hectares irrigados no Brasil, o que representa mais ou menos 10% de toda a área cultivada. A Irrigação é, além de uma oportunidade, uma necessidade para o setor.